As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.
ATENÇÃO: POR FALTA DE TEMPO SÓ RESPONDEREI PERGUNTAS INÉDITAS. NÃO RESPONDO NO WHATSAPP.
PESQUISE assunto +mario persona NO GOOGLE PARA VER SE JÁ EXISTE RESPOSTA.

A quem Deus revelou primeiro a verdade da Igreja?



https://youtu.be/uShEEY_Mfnk

Você escreveu dizendo que "igreja não foi revelada a Paulo, mas primeiro a Pedro, porque o próprio Jesus disse, 'Pedro tu és pedra e sobre ti edificarei a minha igreja'". Também criticou algo que eu disse, com estas palavras: "Logo a sua conclusão está equivocada. Há outros erros também, por ora penso que basta, inclusive no tocante a dízimos, uma hora lhe dou uma explicação.".

Agradeço por sua disposição de querer me ensinar, mas quando o assunto é a Palavra de Deus é dela que devemos aprender por intermédio dos dons, e é nela que devemos conferir se o que alguém diz está correto. Não cremos em homens, sejam eles os "Pais da Igreja", como são chamados os cristãos proeminentes que vieram depois dos apóstolos, e muito menos em alguma "cabeça" da Igreja que não seja o próprio Senhor Jesus Cristo.

Corrigindo o que você disse, o versículo que citou não é "sobre ti edificarei a minha igreja" mas "sobre esta pedra edificarei a minha igreja" (Mt 16:18). Jesus falava da Pedra da afirmação de Pedro feita um pouco antes:

"E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?  E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.  E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela." (Mt 16:13-18).

Um leitor atento perceberia que a questão toda era entre a confiança e exaltação de homens e a confiança e exaltação do Único Homem que é ao mesmo tempo Deus, "o Cristo, o Filho do Deus vivo". Nem homens escolhidos por Deus e grandemente usados por ele podiam ser confundidos com o Cristo de Deus. Nem João Batista, nem Elias, Jeremias ou um dos profetas. Jesus era singular quando comparado a qualquer um deles, e é na sequência desse contexto e da revelação dada a Pedro pelo Pai, que Jesus iria dizer a Pedro — outro notável servo de Deus, mas ainda assim mero homem — que o Senhor faria referência à Igreja que ele próprio haveria de edificar, sobre a revelação da sua Pessoa, e não sobre a pessoa de Pedro que recebeu essa revelação.

Eu sei que você acredita que a Igreja tenha sido edificada sobre Pedro, mas aí encontramos alguns problemas. Primeiro, se a Igreja seria edificada sobre Pedro, e o verbo "edificarei" era ainda futuro àquele momento, como poderia ter a Igreja existido até ali sem um alicerce para a sustentar? Digo isto porque o catolicismo, assim como as religiões protestantes adeptas da Teologia do Pacto, acredita que a Igreja nada mais é que a continuação de Israel, o povo terreno de Deus. Um simples conhecimento dos tempos verbais seria suficiente para derrubar essa teoria. "Edificarei a minha igreja", disse o Senhor a Pedro.

Agora imagine se você pudesse se encontrar com Pedro para tirar justamente esta dúvida, de que "pedra" Jesus estava falando quando disse aquelas palavras. Bem, a boa notícia é que você pode se encontrar com Pedro e fazer esta pergunta sem precisar viajar no tempo, porque Pedro providenciou uma resposta para quando ele não estivesse mais aqui, dizendo, ao tomar conhecimento de que sua morte se aproximava: "Sabendo que brevemente hei de deixar este meu tabernáculo, como também nosso Senhor Jesus Cristo já mo tem revelado. Mas também eu procurarei em toda a ocasião que depois da minha morte tenhais lembrança destas coisas." (2 Pe 1:14-15). 

Baseado nisso, fique à vontade para perguntar a Pedro agora mesmo: "Pedro, quem era a pedra à qual Jesus se referiu lá no evangelho?", e Pedro irá esclarecer: "Ele (Jesus), pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa... Essa foi a principal da esquina." (1 Pe 2:4-7). Ainda assim você não está convencido? Então pergunte a Paulo, que conheceu a Jesus glorificado e teve acesso aos secretos arquivos celestiais: "Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina." (Ef 2:20). Mas se você for católico certamente não irá querer aceitar o que dizem as Escrituras, porque a doutrina católica privilegia a autoridade da tradição do colegiado e dos "Pais da Igreja" e dos papas acima das Escrituras.

Vou inserir aqui um trecho do livro de A. J. Pollock, "The Church of God":

Todo o cristianismo está envolvido nesta pergunta e resposta. Nosso Senhor fez essa pergunta no caráter de Filho do Homem. De sua Humanidade, não havia dúvida, porque ele estava diante deles em carne e ossos. Mas será que não havia mais do que isso? Ouça a nobre confissão de Simão Pedro. Quão profunda foi a sua resposta, muito além do poder da natureza humana em dá-la. Tal estupenda verdade concernente à Pessoa de nosso Senhor só poderia ser uma questão de revelação, trazida no poder do Espírito de Deus. Portanto nosso Senhor disse: “Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.” (Mt 16:17).

“O CRISTO” significa o Ungido, aquele a quem Deus confiou a execução de sua vontade sobre a terra. Isto incluiu nosso Senhor indo à cruz e morrendo uma morte expiatória, a fim de que o homem pudesse participar da bênção. Então nosso Senhor, a partir daí, começa a contar a seus discípulos como ele deveria ser crucificado e ressuscitar no terceiro dia (Mt 16:21).

“O FILHO DO DEUS VIVO.” Aqui temos o reconhecimento de que nosso Senhor foi mais do que um Homem, o reconhecimento de que Ele existia desde a eternidade como o Filho na unidade da Divindade — Pai, Filho e Espírito Santo, um Deus. Ele era "Deus". . . manifestado na carne.”(1 Tm 3:16). Não a criatura, por mais exaltada que fosse, mas “Deus bendito para todo o sempre. Amém!” (Rm 9:5). Ele era Deus, o Filho; como o Pai é Deus, e o Espírito Santo é Deus. Não três Deuses, mas um Deus trino, Um em Três e Três em Um — um Deus, Um em propósito, vontade e conhecimento, Um desde toda a eternidade e para toda a eternidade. Esta é a fé sublime do cristão.

Sobre esta rocha, a confissão de sua Pessoa gloriosa, Cristo edificaria sua igreja, e os portões de hades não deveriam prevalecer contra ela. Aqui nós temos o fundamento invencível da igreja de Deus. Que alívio se afastar da história da igreja com sua inexoravelmente triste história de decadência, divisões, cismas, seitas, suposições mundanas, e saber que o que Cristo constrói permanecerá para sempre, e estará além do poder do inimigo de destruir, e que a igreja emergirá em toda a glória de Deus ao longo dos séculos eternos.

O Dia do Nascimento da Igreja

Chegamos agora à instituição histórica da igreja de Deus. Para isso, quatro coisas eram necessárias:

(1) A vinda de nosso Senhor a este mundo e Sua morte expiatória na cruz; a grande obra de redenção feita para a satisfação de Deus, sem a qual nenhuma bênção poderia fluir para os homens pecadores.

(2) A ressurreição de nosso Senhor, a prova histórica da plena satisfação de Deus na obra da redenção.

(3) A ascensão de nosso Senhor à destra de Deus no céu, tomando seu lugar no alto em relação ao seu povo.

(4) A outorga do Espírito Santo, que habita em cada crente, formando-os no corpo único de Cristo nesta terra. Cristo, a cabeça gloriosa no céu, uniu-se assim a cada membro de seu corpo na terra.

"Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo. Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um só Espírito.” (1 Co 12:12-13). — Traduzido de "The Church of God", A. J. Pollock.

Depois de tantas coisas tremendas serem ditas sobre nosso Senhor Jesus Cristo você ainda teria coragem de atribuir a Pedro qualquer papel de alicerce ou "pedra" na edificação desse monumento de Deus? Mas continuando com sua dúvida sobre a quem foi dada a revelação da Igreja, ela precisa ser respondida dependendo da amplitude da pergunta. Se perguntar se a Igreja pode ser encontrada em toda a Bíblia, eu diria que pode, mas no Antigo Testamento apenas em tipos e figuras. Os próprios profetas que receberam muitas revelações de Deus ignoravam as verdades que seriam reveladas só na presente dispensação.

"Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar." (1 Pe 1:12).

Se perguntar se a Pedro foi revelado por Jesus que ele edificaria a Igreja, então podemos dizer que sim, Pedro teria sido o primeiro a receber a revelação do que Jesus iria fazer. Mas se perguntarmos se Pedro entendeu o que seria essa mesma Igreja da qual Jesus lhe falou, a resposta é não. Vemos que ele e os outros discípulos no princípio continuaram agindo, mesmo depois da formação da Igreja no dia de Pentecostes, como se aquilo tivesse sido um mero avivamento do judaísmo. A revelação completa da natureza e propósito da Igreja só seria dada pela primeira vez a Paulo, não a Pedro. Se duvida, veja estas declarações do apóstolo Paulo:

"Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto, mas que se manifestou agora, e se notificou pelas Escrituras dos profetas, segundo o mandamento do Deus eterno, a todas as nações para obediência da fé; ao único Deus, sábio, seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém." (Rm 16:25-27).

"Como me foi este mistério manifestado pela revelação, como antes um pouco vos escrevi; por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo,  o qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas; a saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho; do qual fui feito ministro, pelo dom da graça de Deus, que me foi dado segundo a operação do seu poder. A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo, e demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo; para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor" (Ef 3:3-11).

Procure descobrir os outros mistérios ou segredos que foram revelados com exclusividade a Paulo e você irá perceber como é rasa essa interpretação que você cegamente aceita vinda de seu sistema religioso, apesar de toda a pompa e circunstância com que se cercam seus expoentes, com suas vestes talares, títulos nobres e majestosas catedrais para sua própria glória. Juntando tudo, as sombras e figuras do que seria a Igreja foram dadas aos profetas do Antigo Testamento, sem que eles entendessem o que estavam escrevendo. A revelação de QUEM era a Pedra sobre a qual ela seria edificada foi dada a Pedro. A revelação do mistério do que é a Igreja, sua origem, propósito e destino, foi dada inicialmente a Paulo, e só depois aos outros apóstolos, " revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas [da Igreja, não de Israel]" (Ef 3:5).

A Paulo foram revelados ao menos nove mistérios:

1. O mistério do evangelho da graça de Deus (Rm 16:25-26)
2. O mistério do endurecimento de Israel por um tempo (Rm 11:25-27)
3. O mistério do arrebatamento e da ressurreição do corpo de Cristo (1 Co 15:51-53)
4. O mistério do um só corpo, a Igreja (Ef 3:1-9)
5. O mistério da cidadania ou vocação celestial do crente no corpo de Cristo (Ef 1:3; Fp 3:20-21)
6. O mistério do propósito de Deus de reunir todas as coisas em Cristo na dispensação da plenitude dos tempos (Ef 1:9-10)
7. O mistério da graça de Deus (Rm 6:14)
8. O mistério da identificação do crente com Cristo (1 Co 15:1-4)
9. O mistério da iniquidade (2 Ts 2:6-12)

por Mario Persona

Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

Mais acessadas da semana